sexta-feira, 4 de julho de 2008

Expo NIPPON 2 – os samurais e as gueixas

Os samurais eram os guerreiros do Japão, na era feudal, cujo código de honra e conduta – o Bushido – falava em honra, lealdade, justiça e perfeição. O prestígio em ser samurai era grande, dentro da ditadura militar conhecida como Xogunato ou Bakufu, onde ele ocupava altos cargos, por quase oito séculos. No sentido literal, samurai significa aquele que serve, visto que eles começaram como subordinados ao imperador. No século XIX, a classe samurai desapareceu, restando apenas o seu código de comportamento e as artes com as espadas, que sobrevivem até hoje, com os samurais modernos, que usam a filosofia do Bushido para adquirir controle e disciplina.


No Japão antigo, as gueixas tinham uma formação privilegiada e era comum que famílias pobres vendessem suas filhas, caso fossem bonitas ou graciosas, para que fossem treinadas e se tornassem gueixas. Elas eram “criadas” pela oki-ya, a dona do estabelecimento onde viviam e também uma “segunda mãe” para estas meninas, inicialmente conhecidas como maiko. Os principais bairros – ou hanamachi – de oki-ya situam-se em Kyoto e Tóquio.

O maior símbolo das gueixas é o quimono... mas isto é assunto para o próximo post: os impressionantes quimonos, suas estampas e dobras, além dos acessórios. Os exemplares expostos na exposição são um luxo – imperdível!


NIPPON – 100 anos de integração Brasil-Japão
Centro Cultural Banco do Brasil – Rio de Janeiro
Rua Primeiro de Março, 66
até o dia 13 de julho das 10 às 21h – Entrada franca
Informações: (21) 3808-2020

CCBB – Brasília/DF
SCES, trecho 2, conjunto 22
de 5 de agosto a 12 de outubro das 9 às 21h – Entrada franca
Informações: (61) 3310-7087

***

8 comentários:

Tania Pimenta disse...

Samurais e gueixas... me lembram a série Shogun e o filme O Último Samurai, além de Memórias de uma Gueixa... ótimas descrições de época, vestuário e costumes japoneses. Recomendo!
Beijins

Paula disse...

Adoro a cultura japonesa!
Acho que tinham maneiras e modos de viver, muito diferentes dos nossos. Regiam-se pela honra e pela serenidade e paz de espirito.
E as roupas eram lindas!
:)
Bjs!

Helena Castro disse...

estou adorando essa sua série de posts sobre essa exposição. aguardo o próximo capítulo! ; )

beijos, helena

Fabio Lage disse...

Essa exposição é fambulosa!!
Muito bom!!
Parabens pelo blog!
Ta lindo!

santa mistura disse...

2 blogssssssss em dia?? como vc consegue rsrsrs
obrigada pela visita viu??
bjsssssssss e vou agora ler os posts daqui ;))

Virginie disse...

Boa tarde linda claudia.
Seu post de hoje me lembra o livro Geisha. nao sei se vç lei o livro mas é super bom (nada a ver com o filme). Nos explica a vida de uma menina que foi vendida pelo pai pra uma casa de geisha. o livro nos mostra o dia dia daquelas casas e dessa criança que creçe nesse universo.Super interessente. cheio de detalhes.
Adoro o ritual de beleza das geishas. um tempo infinito é preciso pra se arrumar cada vez que elas saim de casa pra ir trablhar. E o trabalho feito no cabelereiro. Nossa Santa pacienca.
Beijo da frança.

Verson Souto... disse...

A cultura Japonesa é um luxo, adoro a forma como eles vivem.

Maravilhoso post.Abraços!

Marília disse...

Lindo! nossa, modelitos de gueixa são um sonho!