quarta-feira, 24 de setembro de 2008

in-Terviews... Um jovem designer brasileiro

Desde pequena, sempre fui apaixonada por móveis de madeira. Lembro que, quando entrava em uma loja fantástica de mobiliário de madeira, eu ficava fascinada: com as texturas, as cores, o cheiro, as diferentes madeiras... Era como se, em cada um dos veios, eu pudesse enxergar a história de tão esplêndida matéria-prima! Aprendi a respeitar, portanto, as árvores e as florestas, pois não podia imaginar um futuro sem a madeira... e, ao cursar biologia, esta ligação com a eco-sustentabilidade apenas aumentou. Aqui no Brasil, já tínhamos perdido grandes quantidades de madeira nobre, como o jacarandá, por não ter sido avaliado o risco de um consumo desmedido. É uma pena, pois o jacarandá é uma das madeiras mais lindas... Ainda bem que, hoje em dia, já podemos contar com a madeira ecologicamente correta! E quem trabalha com esta madeira?

Recentemente, tive o prazer de conhecer um jovem designer brasileiro, cujo trabalho muito me agradou: Estêvão Toledo. Ele consegue dar um ar contemporâneo e bastante cool, em suas peças de mobiliário e em luminárias, assim como nos projetos conceituais e de ambientes. E, para a minha grande alegria, o Estêvão aceitou ser entrevistado por mim, mostrando-se super solícito e gentil. Com vocês, o nosso papo, que inaugura a seção pePPer in-Terviews:


Estêvão, para você, o que é ser um designer?
É ser uma pessoa que tenha a cabeça nas nuvens, os pés aventureiros e firmes na direção do destino escolhido, perseverante para enfrentar as dificuldades ao longo do caminho e um coração esperançoso que busque encontrar uma opção diferente e pelo menos tão boa quanto as anteriores.

Fale sobre a sua trajetória como designer, contando sobre a sua formação acadêmica e o primeiro contato com o mundo dos projetos pessoais e profissionais.
Tudo começou ..... no curso de engenharia e o sonho de herdar a empresa do meu pai, mas bastou seis meses para me dar conta de que o caminho mais seguro não era o desejo do meu coração, abandonei a engenharia e infelizmente o sonho de mamãe de tocar a empresa de papai (bonitinho né?!!! Bonitinho mas bem sem gracinha!!) UFAAA... Comecei desenho industrial na FAAP. Paralelamente à faculdade comecei um curso de marcenaria no Senai do Brás, tinha convicção de que o caminho acadêmico somado ao prático aumentariam minha capacidade profissional para criar e confeccionar móveis diferenciados. O que de fato aconteceu, anos mais tarde, montei minha marcenaria no próprio bairro num galpão da família que funciona até hoje. Lá invento, faço tentativas, tenho liberdade absoluta para desenvolver meu lado artístico sonhador. Tive o privilégio ao longo da minha formação de trabalhar e aprender ao lado de alguns dos maiores nomes do design brasileiro como: Fernando e Humberto Campana, Baba Vacaro, Carlos Motta e Pedro Petry, que me ensinou a tornear peças em madeira no tempo em que ele ainda tinha oficina em Joinvile.

Quais foram as suas maiores influências artísticas?
É difícil dizer..... eu tenho muitas, mas procuro me alimentar de pessoas que inspirem a nos tornarmos seres humanos melhores, minhas influências artísticas pairam num âmbito mais amplo, não dizem respeito só a produção, objetos, obras ou coisas materiais, mas estórias, gestos, biografias, atitudes, sentimentos, o movimento da natureza me marcam também.

Conte um pouco sobre o seu processo criativo – como ele começa, qual é a inspiração, de que forma o projeto torna-se real?
Eu não tenho um método determinado para a criação, mas funciona mais ou menos assim: num pé calço o sapato do conhecimento técnico, no outro pé a sandália da poesia e vejo aonde eles me levam. É sempre uma briga danada no caminho, mas sempre chego a lugares interessantes.
Minha inspiração é como o vento, não se sabe da onde vem nem para onde vai, mas consegue vê-lo melhor quando se fecha os olhos.

Quem é o cliente do Estúdio Estêvão Toledo? O que ele busca, quais são suas necessidades?
Nosso cliente é uma pessoa que valoriza design, arte, que gosta de madeira, aprecia a confecção da marcenaria artesanal e tem responsabilidade sócio-ambiental. Ele busca compor ambientes belos de uma forma muito pessoal, sabe direitinho o nome, quem criou, de onde vem e o porquê de cada peça que compõe seus espaços, deixando-os mais agradáveis possíveis para melhor viver e conviver.

Acho interessante você se preocupar com o conforto e o bem-estar... como eles influenciam o desenvolvimento do seu trabalho?
Conforto tem muito a ver com ergonomia, que já traz consigo parâmetros pré-determinados. O bem-estar já é algo mais subjetivo e pessoal, daí entra a importância de personalização das peças e criatividade direcionada. Meu trabalho compreende em achar o ponto de equilíbrio entre estes dois vetores que muitas vezes exercem forças contrárias.

Que materiais costumam ser mais utilizado por você? Por quê? De onde vem a sua preferência por eles?
Uso principalmente a madeira, primeiramente por ser um material que é lindo por si só, sua beleza natural facilita muito meu trabalho como designer, qualquer um pode notar que na maioria das minhas peças deixo que sua beleza dite o ritmo. A madeira também é um material generoso plasticamente falando, você corta, lixa, cola, oferece inúmeras possibilidades de formas. A madeira é o resultado da apreensão de gás carbônico do nosso ambiente, se for usada de uma forma consciente é um material biodegradável, renovável, bonito e a concretização da maravilhosa e milagrosa força que a natureza tem de sozinha se equilibrar.

Ao utilizar madeira ecologicamente correta, você demonstra uma preocupação bastante atual – a eco-sustentabilidade. Qual a importância da utilização desta matéria-prima nos dias de hoje?
Se você for analisar mais a fundo a utilização da madeira para confeccionar móveis é pequena em relação a outros setores, como por exemplo a construção civil. Porém o design também tem como responsabilidade a formação de opinião e principalmente o de buscar sempre a excelência do produto dentro da faixa de custo ao público que se destina. Hoje a eco-sustentabilidade realmente é muito importante na tentativa de amenizarmos os danos da herança de uma sociedade pós-industrial.

A marcenaria parece estar ganhando um novo espaço, resgatando a força do artesão. Como vê o seu trabalho no mundo contemporâneo?
É verdade, no trabalho que desenvolvemos focamos refinar a marcenaria, onde se tira o seu lado amador das peças mal acabadas que é característica encontrada em algumas peças do trabalho artesanal por um acabamento fino e de medidas minuciosas, com a possibilidade de personalização dos produtos que é o ponto forte de quem produz peças uma a uma.
Estou muito otimista com os resultados do “meu trabalho” (é claro que existe uma equipe por traz, quando digo meu trabalho entenda-se que Estevão Toledo Design é composta por pessoas muito competentes e envolvidas neste resultado final, acredito que nunca se consegue nada sozinho), estamos vendendo bem e recebendo muitos elogios por todo o mundo.

E como é trabalhar com produtos conceituais, como a luminária “raiz de fora” e o vaso “borracha”?
É divertido e empolgante, como sou um designer independente tenho a possibilidade de algumas vezes criar objetos interessantes sem ter a obrigação de torná-los produtivos. Isso me dá a oportunidade de conhecer diferentes materiais mais de perto e refletir sobre novas possibilidades e funções.

Para encerrar, quais são os seus projetos para o futuro?
Meus projetos para o futuro...... hummmmmmm...... continuar vivendo, sonhando e tentando transformar idéias em realidade se assim Deus permitir.


Espero que vocês possam conhecer o trabalho dele e perceber o quanto a mão do artesão é capaz de criar peças tão especiais... obrigada, Estêvão – sucesso sempre!



16 comentários:

Luciana B. - Ribeirão Preto disse...

Que legal... eu já vi uns móveis muito bonitos do Estevão e adorei saber mais sobre ele... Um abraço,

Sheyla disse...

Claudia,
Amo designer. Sou apaixonada pela minha cadeira vermelha do Philippe Starck, rs... No Brasil, tem os Irmãos Campana e tantos outros designers maravilhosos, né?
Não conhecia o talentosos Estevao.
Palmas para ele e pra vc pela bela entrevista.
Bjs.

Não Somos Apenas Rostinhos Bonitos disse...

Adoramos as criações dele, excelente dica Cláudia!
Beijocas

Helena Castro disse...

adorei a entrevista e fui em seguida no site dele ver as suas criações. é uma mais linda que a outra! amei. quando eu montar minha casa quero ter uma peça dele! ; )

beijos

Chris disse...

Nossa, adorei essa ideia de entrevistar e podermos conhecer mais de pessoas talentosas! e que cara inteligente esse ne!? Como fala bem e expoe de forma clara suas ideias sobre o que ele faz! ainda bem que ele seguiu aquilo que ele queria e nao a ideia dos pais. Isso e louvavel!
E a frase dele sobre inspiracao " num pé calço o sapato do conhecimento técnico, no outro pé a sandália da poesia e vejo aonde eles me levam" e muito linda! Perfeito. E otimo vc adiquir um produto sabendo da estoria e quem o fez!

Valeu mais uma vez!

Bjusss

LilyZemuner disse...

Incrível!
Não conhecia o trabalho do Estevão e fiquei encantada, tudo de muito bom gosto.
E parabéns pela entrevista, muito bem feita.
B-jo grande.

Jose Walter disse...

Realmente tive o prazer de conhecer o designer Estevão, e posso confirmar que os seus trabalhos são ótimos e comprovar o grande desenvolvimento do design no Brasil.

(¯`·._.·[***Celina***]·._.·´¯) disse...

Adorei a entrevista Claudia e mostrei pro meu maridão o site do Estevão pois ele tbm fez curso de marcenaria no Senai e até hoje faz móveis lindos tbm.
Bjobjo e parabéns pela entrevista.

POPI by Paula disse...

Vc sempre nos presenteando com pessoas e idéias especiais!!
bjus
Paula

Kira Fashion disse...

Amo madeira e tudo que envolve!!
Meu avô é especialista e desde pequena acompanho tudo o que ele faz :) amo!

mil beijos!

Ana Carolina disse...

Que surpresa maravilhosa. Como designer (só que gráfico) fico muito orgulhosa do espaço que meu colega de profissão ganhou aqui. Bem, ele merece né!! Só trabalho incrível.

Um beijo Cláudia, adorooooo seus posts!!

Nina disse...

Legal isso Cláudia e fiquei duplamente feliz em ver que alguém mais trabalha com madeira! e principlamente, madeira oriunda de florestas ou plantadas ou certificadas. Sou do Amazonas, e eng florestal, lá trabalha-se mt com madeira nobre, mas mt gente trabalha infelizmente ilegalmente. Mas ainda pode ser pior qd pensamos em outras regioes da Amazônia. Ver um trabalho tão bonito qt do Estevao, um designer que pensa ecologicamente correto é sempre mt bom, dá uma pontinha de orgulho, sabe?

Trabalhei numa empresa que possuia o selo FSC, por isso fico tão feliz em ler essa entrevista. valeu mesmo!
sucesso pra o Estevao e pra vc!

Peguei na rede... disse...

Olá, passei só para um cafezinho e já estou ficando para o almoço... :D

Xêro procê

_+*A Elite in Paris*+_ disse...

Admiro muito o trabalho com materiais nada evidentes :) até a madeira nao o é!

Beijo meu ♥,

A Elite

CoisasdeMaria disse...

Lindo!

moniik disse...

Uau! Não conhecia o Estevão, adorei a entrevista dele! Muito legal o post!
bjus