quarta-feira, 18 de fevereiro de 2009

en Voyage... Meu percurso com Picasso

Não saberia precisar quando vi Picasso pela primeira vez. Porém, a grande exposição, em 1986, no Paço Imperial, RJ, foi o começo de tudo. Lá estavam reunidas algumas de suas maiores obras-primas. Lembro que fiquei extasiada ao entrar em uma pequena sala, toda pintada de preto, onde se viam as pinturas da “Minotauromania”. Uma dessas pinturas chamou minha atenção em especial: ela capturava o meu olhar, sem que eu pudesse resistir ao seu apelo. As pessoas que estavam comigo não entendiam como aquele quadro – “pequeno, em preto e branco, esquisito, estranho” – podia ter me conquistado. Por que aquele quadro? Estranho...




A partir de então, Picasso tornou-se meu artista predileto. Com isso, muitas vezes fui questionada, sobre ele e sua obra, por pessoas tentando “entendê-lo”. Sempre que isso acontece, me pergunto o porquê. Será preciso entender Picasso? Por que as pessoas não são indiferentes a ele? Picasso parece sempre inquietante. É difícil alguém não se sentir “mexido” frente a ele. Que mal-estar é esse que as pessoas tentam superar? Por que não é possível suportar o estranhamento frente à obra de Picasso? Serão precisas palavras para explicar? Normalmente, quem chega a formular a sua inquietação diz que ele põe “tudo fora do lugar”! E me perguntam: Como você gosta disso?

Outro momento marcante aconteceu, em 1998, no Museu Picasso, em Paris, quando uma conversa me chamou a atenção. Frente a um quadro, uma mulher apontava e como que “desenhava” no ar, enquanto descrevia para a outra: “Isso é um braço... aqui está o rosto...” Fiquei impressionada, sem compreender bem o motivo. Por que elas precisavam “achar” ali um braço, um rosto? Era preciso ver a realidade? Aqueles “pedaços” deviam ser recolocados para fazer sentido? Será que o desconforto daquelas que conversavam exprimia o que acontece frente aos quadros de Picasso? Eu, entretanto, não sinto esse desconforto – na verdade, me sinto “preenchida”.

Foto: Musée Picasso, Paris


Fotos: MoMA, NY


Em agosto de 2000, no MoMA, Nova York, tive a oportunidade de ver uma das maiores obras do século XX – “Les Demoiselles d'Avignon” – ao vivo. Minha reação foi impressionante: eu, literalmente, caí sentada em frente a ele! Precisei de um certo tempo para assimilá-lo! Foi uma reação muito forte... Mas, também não foi de desconforto ou estranhamento... Em geral, as pessoas se “desculpam” por não gostar dele, completando que preferem outros artistas – em geral, artistas cujas obras retratam objetos, pessoas, natureza, de forma mais “fidedigna”, isto é, onde “braços são braços e rostos são rostos”, ou seja, o que é, está lá, “reconhecível”.

Nesse incômodo que persiste – pois é o que fica de Picasso nas pessoas – está a minha grande dúvida: por que é justamente isso que mobiliza as pessoas? Também gostaria de entender por que outras pessoas, como eu, gostam disso.

E você o que acha?




Les Demoiselles d’AvignonPicasso 1907: apesar de não ser propriamente uma obra cubista, ela inaugura o movimento que revolucionou a história da arte. Ao instaurar a arte moderna, é o ponto de início lógico deste movimento de vanguarda, tornando-se a ponte entre o passado e a modernidade, ao romper com o conceito de pintura como imitação.

18 comentários:

Nina disse...

Nossa, Cláudia, a tua descricao foi tao interessante qt os trabalhos do grande artista que ele foi, que ele é! Mt bacana qd a gente tem a chance de conhecer certas obras que antes viviam somente no nosso imaginário. Foi assim a minha reacao qd dei de cara com as obras de Monet.

Mágico nao é?

Adriana disse...

Admiro os traços marcantes e vejo as cores como forma de expressão...
Eu adoro...
Beijos,querida.

Sandra disse...

Eu Adoro "Amedeo Modigliani" rival de PICASSO,mas se tem uma coisa que me emocionou foi a última palavra q PICASSO mencionou na hora de sua morte.....e isso vc já deve saber.......esses 2 genios da arte, na verdade eram um admirador do outro .
Eu não sei se vc já viu o Modigliani - O Filme " é simplesmente divino!!
outra artista q eu sou admiradora é da mexicana Frida Kahlo...
ihhh se for listar todos os nossos preferidos haja lista....rs

bjos

Kerou disse...

sempre é uma delicia entrar aqui e ver seus post claudinha!!

adooooro

beijo grand e otima quarta feira

Chris disse...

Quantas reliquias vc tem!! Alem das otimas lembrancas que vc compartilha com a gente! Picasso e um grande artista e me identifico com as cores fortes, contrastantes, gosto do torto, do misturado, do traco preto, das linhas que se invadem... acho lindo, poetico, marcante e singular.

bjks

Cacá disse...

Pra mim foi incrível ter visto a obra "Garnica" ao vivo.
Juro que me arrepiei!

Adorei o slideshow. :)

Beijocas!!!

Lúcia disse...

Oi, Claudia! Gosto é gosto, não se discute, né? Do Picasso, algumas coisas gosto, outras não. Difícil mesmo explicar. Bjins

Verson Souto. disse...

Picasso é PICASSO!

brasildobem disse...

Claudinha nunca procurei entender um artista e sim senti-lo. Picasso se traduz nisso: sensibilidade de um gênio com o manejo dos pincéis.
Bjs.
Janeisa

Karine disse...

É um estilo muito forte e marcante,que reflete os traços da personalidade dele.Falavam que ele era meio arrogante.

;)

Maas..A beleza de suas obras é inquestionável,sem dúvida.

Beijinhos,Cláudia!

Eneida disse...

Realmente as pinturas de Picasso são intrigantes e instigantes.
Algumas pessoas necessitam identificar os desenhos com algo conhecido para conseguirem apreciar.
É muito interessante!
Beijo!

Mônica disse...

Gosto muito da obra de Picasso! minha obra preferida é Guernica, não me canso de admirar...

Já assistiu ao filme Modigliani, com Andy Garcia e no papel principal e Omid Djalili no papel de Picasso? Eu adorei!

bjs

Kira Fashion disse...

Muito inspirador Cláudia!
VC é uma mulher cultíssima! E obrigada por dividir todo esse conhecimento com a gente!

Beijos!

M disse...

Adoro Picasso!
Xoxo
M

Chris - da Chria disse...

" Eu não procuro, eu encontro."

Acho a obra dele e suas convicções - algo completo, único, sem questionamentos...
admiro cada traço,parágrafo da sua história...
a sensualidade e vontade de viver!
tudo intenso,
tenso,
lindo!
bjo grande
Chris

VERA DERENUSSON disse...

OI CLAÚDIA, PASSEI P/ CONHECER O BLOG E ADOREI....A MAIOR COINCIDÊNCIA, FAÇO ARQITETURA E HOJE O TEMA ERA "PICASSO" E SEUS MINOTAUROS....ADOREI , BJUS

Cristina Uetake disse...

De Picasso amo o quadro Mulher Chorando. Não é lindo? Claudinha, aproveito pra te desejar um ótemo feriado e meu Blog vai passar por mudanças depois do Carnaval!
Grande Beijo!!!

au revoir Camille. disse...

Fui na quinta-feira a casa onde viveu Picasso antes de ir para França, em Espanha. Linda, mesmo :) Tinha lá as aguarelas dele e tudo.