domingo, 29 de junho de 2008

A avaliação de uma marca de moda

A marca Cantão faz parte da minha história pessoal, afinal somos contemporâneas, nascidas no fim da década de 60. Para tamanha longevidade, o que é um caso interessante na moda visto ser um universo do fugaz, algumas atualizações (ou reposicionamentos) precisaram ser feitas ao longo destas últimas quatro décadas. Como acompanho a marca, desde o início dos anos 80, alguns pontos chamam a atenção.


Sua característica inovadora sempre esteve presente: o Cantão foi a primeira marca a lançar agendas must-have e suas mochilas tornaram-se objetos de desejo nas escolas cariocas. Entretanto, este seu lado inovador causou um pouco de confusão. Toda esta mudança constante de logos, uma identidade visual que alterava-se, constantemente, gerava uma certa “não-identificação”. Explico melhor – cada modificação na logo (inclusive no nome, de Cantão 4 para apenas Cantão) fazia com que nós precisássemos aprender a “re”-identificar a marca, pois ela não era reconhecida de imediato.


Esse movimento foi uma constante até há bem pouco tempo, quando surgiu a logo com o ponto vermelho. A princípio, isto causou uma certa celeuma, pois para algumas pessoas (talvez mais antenadas...) era sinal dos tempos trocar o texto pela imagem. Já para outras, isto foi muito complicado, fazendo com que as lojas precisassem colocar o nome nas fachadas de forma mais explícita. Mesmo assim, muito se falou da não-inteligibilidade da logo, principalmente fora do público-jovem, seu principal target.


Mas, não podemos esquecer que, com a passagem do tempo, este público também envelheceu e ele continua cliente da marca... como eu. A cada nova coleção, mesmo com a logo imutável, as bolsas e embalagens ainda são modificadas, o que parece ser um movimento atual em muitas lojas. Confesso que não sei se é o melhor caminho – a cada mudança, é preciso “re”conhecer as bolsas do Cantão! E, quando nos acostumamos, lá vem mais uma! Como, hoje em dia, as empresas deveriam estar focadas no marketing, se preocupando mais com a marca do que com o produto, talvez não seja a melhor estratégia... No entanto, se virmos o marketing como uma estratégia ou ferramenta para criar e manter clientes, esta possa ser uma forma de criar desejo pelo novo, por saber qual será a “próxima cara” do Cantão. Logo, é preciso estar atento à segmentação do mercado, sempre preocupado em atender ao público-alvo da marca, conhecendo-o o mais profundamente possível. Para isso, seu programa de fidelidade tem sido uma boa opção.


Resumindo, parece que o Cantão conseguiu manter a sua clientela fiel e renovar-se em busca de novos admiradores da marca, posicionando-se com uma visão que almeja colocar, cada vez mais, a marca como objeto de desejo, agora no século XXI, de forma sustentável (aqui)!


***

13 comentários:

Helena Castro disse...

Eu tive na escola uma mochila da Cantão jeans com a base de camurça. Era mesmo um hit!!!!! Lembro que, depois de um pouco gasta, todos os amigos escreviam nela com caneta e pilot. Quanto mais interferência tinha, mais cool era.

Ah, antes dela, tive uma da Company amarela que eu amava.

beijos, Helena

Tania Pimenta disse...

Ai ai... agendas do Cantão... quantas tivemos,né? Era uma ansiedade esperar para saber como seria a próxima... pena que não é mais assim... mas Cantão ainda é e sempre será Cantão!!!
Beijins

Du Balaio disse...

Meu namorado tem um mochila toda lenhada da Cantão e não larga dela de jeito nenhum...Será que hoje nos identificamos com marcas como era antes (lembram da Company tbm?)? Será que isso é coisa de adolescente?
Bjo.

Cris Oficina de Estilo disse...

Ebaaaa!!!! Obrigada pelos parabéns!!!! Eu amo fazer aniversário e amo felicitações!!!!
Beijos

Verson Souto... disse...

Eu não sou dessa época, mas já admiro a cantão a tempos.

Amei o post, abraços

Miss Pu disse...

Oi Cláudia!

Obrigada pelo comment!
É impressionante a quantidade de brasileiras com tanta dedicação ao fashion world! Tomara que fosse assim cá tb!

Amei este post acerca da Cantão! Nem eu sabia da história a metade, sei que me perdi de amores pela marca quando tive no Rio! Era cada coisa mais linda que a outra.
Sempre aprender...

Vou passar a visitar o pepper in fashion sempre!

Espero que tb continue me visitando no fashion rules :)

beijoooo

(¯`·._.·[***Celina***]·._.·´¯) disse...

Oiiii Claudia, nunca tive nada da Cantão, talvez por ser uma marca do Rio, não sei. Só a conheci depois de algum tempo através dos desfiles mesmo, mas adorei e virei fã, mesmo achando que a grife é mais voltada ao público jovem. Seu post está super bem escrito, parabéns!
Bjobjo

bel sant anna disse...

eu conheço a cantão desde pequena...eu acho que a marca traduz o estilo da carioca jovem, que gosta de cor, conforto...mas eu naum sou da época da mochla ou da agenda...aliás adoro aquela coleção que a garota propaganda é giusela rein que é linda!
acabei de ler sua entrevista toda.adorei!
tb gostei dessas atualizações dos blogs no cantinho ao lado do seu...

Marília disse...

Nossa.... Cantão é das antigas mesmo. Mas me lembro de ver muito no Rio... em SP nunca teve ou não pegou mesmo.

Menina, sumi mesmo, é muita informação... rs To organizando minha mente pra pautá-las, enfim... doidinha!
hahahaha

bjs

CARMEN MARTINS disse...

Oi, Claudia!!!! obrigada pela visita ao meu querido Achados de Moda!!! passe sempre por lá e deixe seu recado. Temos várias coisas em comum: Moda, consultoria de imagem, blogs de moda e o amor por PARIS!!!! Vc conhece este blog http://www.garancedore.fr/category/streetstyle-photos/
Faça uma visitinha! bjs

santa mistura disse...

2 coisas em comum ; )) somos da mesma geração ; )) também nasci em 60 e adoro o cantão ;))

Deusa Andrade disse...

Sua análise me lembrou muito o quanto eu já estudei as marcas, o perfil do consumidor...me transportou para a faculdade...rs
Muito Boa!
beijos

Eneida disse...

Cláudia, abriu uma loja da Cantão aqui em BH faz pouco tempo. A gente só encontradava em boutiques multimarcas, mas mesmo assim eu sempre gostei do estilo!
Valeu o post!
Muito bom!
Beijo.